África Subsaariana tem maior incidência de trabalho infantil, diz OIT

África Subsaariana tem maior incidência de trabalho infantil, diz OIT

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, marcou o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil com um alerta sobre o número de crianças que estão trabalhando na lavoura.

A OIT afirma que a África Subsaariana é a região com maior incidência de casos apesar de uma ligeira redução de 2% entre 2000 e 2004.

A técnica do departamento contra violência, abuso e exploração de crianças, do Unicef, em Moçambique, Clarisse da Silva e Paula, falou à Rádio ONU, de Maputo, sobre o número de crianças envolvidas no trabalho infantil no país.

“Um inquérito que foi feito pelo Ministério do Trabalho junto com o Instituto Nacional de Estatísticas de Moçambique detectou que mais ou menos 32% de crianças entre a idades de 7 a 17 anos estão envolvidas em actividades económicas. Crianças trabalhando em fazendas, em comércio, venda de produtos e, infelizmente também, crianças trabalhando na área do sexo”, disse.

Já no Brasil, a queda nos casos de criança no trabalho, teria sido de 60% na faixa etária de 5 a 9 anos.

Mas a actuação de menores na lavoura permanece principalmente no interior do país.

A coordenadora de programas da OIT para a América Latina, Anita Amorim, disse à Rádio ONU de Genebra, que a vida na agricultura prejudica a saúde dos menores.

“Na agricultura, as crianças estão expostas a temperaturas extremas, a maquinária é pesada e perigosa, cargas pesadas, uso de ferramentas perigosas. E elas podem sofrer lesões corporais ou até morte. Então são perigos bastante consideráveis. Existe ainda o risco do uso de pesticidas químicos. A gente tenta fazer uma promoção desse tema com as famílias, com as comunidades, mostrando que valorização da educação é um ponto importante”, afirmou.

Outra forma de trabalho infantil é o mercado ambulante.

Em entrevista à Rádio ONU, Polyana, de 11 anos, que vende artesanato em Vitória da Conquista, na Bahia, disse que se tivesse a chance, não trabalharia na rua, mas que estudaria para ser modelo.

“Ah, eu só estudaria. Eu iria só para a escola. Eu quero continuar meus estudos, quero fazer uma faculdade. Quero estudar bastante até me formar. E depois fazer o curso, eu quero ser modelo”, diz.

A OIT define trabalho infantil como toda a actividade que prejudica o bem-estar das crianças e que compromete a sua educação, desenvolvimento e vida futura.