Acordo sobre força para Darfur é analisado no Conselho de Segurança

Acordo sobre força para Darfur é analisado no Conselho de Segurança

O Conselho de Segurança reuniu-se nesta quarta-feira para consultas sobre o acordo entre as Nações Unidas, a União Africana e o governo do Sudão para a criação de uma força de paz mista para a província de Darfur.

Ele explicou que as tropas serão formadas, na sua maioria, por soldados da União Africana e também por capacetes-azuis da ONU.

O contingente terá até 19 mil homens e ficaria sob o comando operacional da União Africana, enquanto a ONU fará a supervisão.

As Nações Unidas estimam que, desde 2003, o conflito em Darfur já provocou mais de 200 mil mortos e obrigou 2,5 milhões a deixar suas casas

Em Genebra, na Suíça, um grupo de especialistas divulgou um relatório em que reiteram preocupações sobre a situação dos direitos humanos em Darfur. O documento foi apresentado na abertura da 5ª. sessão do Conselho dos Direitos Humanos da ONU.

O representante de Angola na missão da ONU em Genebra, Arcanjo do Nascimento, disse à Rádio ONU, que apesar da situação, o Sudão estaria dando bons sinais para resolver a questão.

“Já houve alguns avanços nessa questão do Darfur. Já há, pelo menos, o compromisso da parte do governo sudanês em abrir-se mais à cooperação com os vários organismos das Nações Unidas em matéria de direitos humanos. E é fundamentalmente isso que o conselho quer. Que haja essa cooperação para que então ocorra um diálogo, e haja uma análise muito mais clara sobre o que se passa realmente em Darfur”, afirmou.

Ainda nesta quarta-feira, o Conselho de Segurança realiza consultas sobre as sanções aplicadas à Libéria e à Côte d’Ivoire, e analisa ainda a situação no Iraque.