Convenção aprova moratória para proteger elefantes africanos BR

Convenção aprova moratória para proteger elefantes africanos

A Convenção Internacional de Proteção às Espécies em Perigo de Extinção, Cites, aprovou uma moratória de pelo menos nove anos para o comércio do marfim como forma de proteger os elefantes na África.

Um dos participantes do encontro, o chefe rotativo da delegação brasileira na Cites, Fernando Coimbra, falou à Rádio ONU, de Haia, antes do acordo. Ele explicou a proposta brasileira para proteger o pau-brasil.

“Uma proposta é a de inclusão do pau-brasil, nosso pau-brasil, que deu nome ao nosso país. No anexo dois, ou seja, nós estamos propondo que o pau-brasil seja objeto de um comércio controlado desde de que a madeira venha de um programa de manejo sustentável. E que tenha sido aprovado pelas autoridades brasileiras e no caso o Ibama, que é o órgão responsável”, disse.

Em fevereiro, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, publicou uma lista provisória de 40 medidas para proteger as espécies da fauna e da flora em risco de extinção.