Aiea apóia planos para criação de Centro Nacional do Câncer no Haiti

Aiea apóia planos para criação de Centro Nacional do Câncer no Haiti

Ilha caribenha ainda oferece poucas opções para o tratamento da doença; número de casos é 12 vezes superior aos registrados nos Estados Unidos. ~Boletim: Camilla Menezes, Rádio ONU.

O projeto é financiado com o dinheiro recebido com o Prêmio Nobel da Paz, conferido à Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, em 2005.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, OMS, a incidência dos casos de câncer cervical no Haiti é uma das mais altas do mundo.

Os números foram compilados no Atlas do Câncer, que apresenta as estatísticas de vários países.

A OMS estima que o Haiti tenha três vezes mais casos de câncer cervical que a vizinha República Dominicana. Os diagnósticos na ilha são 12 vezes maiores que as ocorrências de câncer cervical nos Estados Unidos.

O oncologista Jean Cornely, do Hospital Geral em Porto Príncipe, capital do Haiti, disse que a cura ocorre em 65% dos casos tratados com radioterapia.

Ele afirma que mesmo em diagnósticos tardios, metade das mulheres pode ser tratada.

O diretor do Programa da Aiea sobre Terapia de Ação contra o Câncer, Massoud Samiei, disse que mais da metade dos novos casos de câncer ocorre em países em desenvolvimento, onde a doença também é uma das causas principais de mortalidade.

Da Rádio ONU em Nova York, Camilla Menezes.