Timor-Leste começa apuração de votos das eleições presidenciais BR

Timor-Leste começa apuração de votos das eleições presidenciais

No Timor-Leste começou a apuração do 2º turno das eleições presidenciais, disputadas entre o presidente do Parlamento e candidato da Fretilin, Franciso Lu-Olo Guterres e o premiê do país e Prêmio Nobel da Paz, José Ramos-Horta.

Uma ex-colônia portuguesa, no sudeste da Ásia, o Timor-Leste foi anexado pela Indonésia na década de 1970 e se tornou independente em 2002. Esta é a primeira corrida presidencial desde a indepedência do país.

A Comissão Nacional Eleitoral, CNE, informou que o comparecimento às urnas foi superior a 80%. Um dos organizadores das eleições, Tomás de Rosário Cabral, disse à Rádio ONU, da capital Díli, que os números finais serão anunciados pela CNE.

“Os numeros definitivos deverão ser comunicados pela comissão nacional das eleições depois da apuração distrital”, disse.

De acordo com uma porta-voz da Unmit, existe uma possibilidade de que o nome do novo presidente do Timor-Leste já seja conhecido antes deste fim de semana.

Em entrevista à correspondente da Rádio ONU, Sophie Boudre, a comissária da CNE no Timor-Leste, Maria Domingues Fernandes Alves, explicou que a posse do novo presidente é dada pelo chefe do Parlamento. E como o atual presidente do Parlamento também concorre, em caso de derrota, ele poderá ter que empossar o candidato adversário, como contou a comissária.

“O atual presidente do parlamento é que daria posse ao novo presidente da República. Se o candidato Lu-Olo vencer nessas eleições presidenciais então é o primeiro vice-presidente do parlamento que irá empossá-lo. Mas se for o candidato Ramos Horta certamente será o presidente Lu-Olo que irá empossá-lo”, explicou.

No primeiro turno, Franciso Lu-Olo Guterres obteve 28% dos votos e Ramos-Horta 22%. Analistas dizem que este resultado pode ser modificado drasticamente após outros candidatos derrotados no 1º turno terem declarado seu apoio a Ramos-Horta.

Entre os simpatizantes do premiê, está o atual presidente do Timor-Leste, Xanana Gusmão.

Foto: Martine Perret