Independência de Timor-Leste celebrada em Nova York

Independência de Timor-Leste celebrada em Nova York

O 5º aniversário de independência do Timor-Leste, marcado em 20 de maio, foi comemorado, de forma antecipada, em Nova York, com uma Semana Cultural sobre a ex-colônia portuguesa, realizada em Manhattan.

O embaixador do Timor-Leste na ONU, Nelson Santos (foto), disse que após a independência o país deve aumentar ainda mais a proximidade com a comunidade internacional.

“Nós por muitos anos estivemos junto da comunidade, mas depois da independência temos estado afastados da comunidade. E essa iniciativa da fundação da Cláudia Abate e também da Fundação Gabarron foi extremamente útil para nós. Para afirmar que temos aqui amigos, que sempre nos ajudaram, temos uma cultura que a cidade aprecia e que devemos não só estar na parte diplomática, mas também na parte cultural, contribuir para a cidade de NovaYork”, afirmou.

O evento contou ainda com a presença do presidente do Timor-Leste Xanana Gusmão e do presidente eleito, José Ramos Horta, através de uma videoconferência, directo de Díli, capital do Timor.

Ramos Horta disse que o país tem um fundo de petróleo de cerca de US$ 1 bilhão que estão investidos em títulos do Tesouro Americano e empresas dos Estados Unidos.

Para a idealizadora da Semana Cultural, a diplomata Claudia Abate, o objectivo do evento foi mostrar aos moradores de Nova York a beleza do Timor.

Abate disse que as pessoas precisam estar mais abertas para outras culturas e diferenças. Segundo ela, os seres humanos têm as mesmas expectativas e anseios, por se tratar de um só mundo.

O Timor-Leste foi anexado pela Indonésia na década de 1970, e se tornou independente após um referendo da ONU em 2002.