Haia investigará alegações de crimes de guerra na R. Centro-Africana

Haia investigará alegações de crimes de guerra na R. Centro-Africana

O Tribunal Penal Internacional, TPI, anunciou nesta terça-feira que vai abrir uma investigação sobre alegações de crimes de guerra cometidos na República Centro-Africana.

Mais informações com o repórter da Rádio ONU, Eduardo Costa.

“O procurador de justiça, Luis Moreno-Ocampo, disse que a promotoria do Tribunal Penal Internacional analisou informações de diversas fontes sobre alegações de crimes cometidos na República Centro-Africana, durante o período mais intenso do conflito armado entre 2002 e 2003.

De acordo com o tribunal de Haia, as denúncias envolvem assassinatos, estupros e pilhagens.

Moreno-Ocampo afirmou que há relatos de vítimas que foram violadas em público, por vários perpetradores e na presença de familiares.

Para Moreno ele, o número de casos revelados é tão grande que não pode ser ignorado.

Segundo o tribunal, existem pelo menos 600 denúncias de estupro cometidos num espaço de 5 meses.

Ainda de acordo com a corte em Haia, o governo da República Centro-Africana pediu a intervenção do tribunal da ONU porque o sistema judicial do país está com dificuldades de lidar com a complexidade das alegações.

Da Rádio ONU em Nova York, Eduardo Costa”.

Ainda nesta terça-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, pediu a libertação de dois funcionários da ONG italiana Cooperazione Internazionale, Coopi, sequestrados na República Centro-Africana.

Segundo o Unicef, os dois voluntários foram capturados no Sábado na estrada que liga as localidades de Bozoum e Cocaranga, no noroeste do país.