Somália vive pior situação humanitária desde início do conflito em 1991

Somália vive pior situação humanitária desde início do conflito em 1991

O subsecretário-geral da ONU para Assistência Humanitária, John Holmes, disse que a situação humanitária na Somália atingiu os seus piores níveis desde o início do conflito em 1991.

Segundo as Nações Unidas mais de 200 mil pessoas já deixaram Mogadíscio, capital do país, desde Fevereiro, devido a violência.

A brasileira Raquel Schult, da Organização Médicos Sem Fronteiras, falou a Rádio ONU, da região de Guri El, situado a 450 kg da capital, sobre a situação de segurança dos trabalhadores humanitários no país.

“O que acontece aqui é que a segurança é um requisito muito importante então a gente está o tempo todo com o pé atrás e temos que estar prevenidos. A gente só sai em comboio de carros e sempre com segurança. Não se anda na rua. É sempre do hospital para casa e de casa para o hospital", disse.

De acordo com o Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, trabalhadores das agências humanitárias enfrentam enormes dificuldades na Somália, onde são confrontados com ameaças e intimidações.