Português para Todos

Português para Todos

Cabo Verde e São Tomé e Príncipe continuam a ser os únicos países da África lusófona que, junto ao Brasil e a Portugal, ratificaram o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Acompanhe a entrevista com o secretário-executivo da Cplp, Luís Fonseca (foto).

Assinado a 16 de Dezembro de 1990, em Lisboa, o acordo ortográfico constitui um tratado internacional, resultado de um trabalho desenvolvido pela Academia de Ciências de Lisboa e pela Academia Brasileira de Letras, ABL, desde 1980, muito antes da criação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, em 1996.

Rádio ONU conversou com o embaixador Luís Fonseca, secretário-executivo da Cplp, que falou dos factores que estão a atrasar o processo.

Fonseca atribui o atraso à morosidade de alguns processos administrativos que não permitem às Assembleias Nacionais dos países adoptarem o documento. Ele entende que cada um dos Estados tem as suas prioridades em matéria de trabalho legislativo.

“Um acordo de importância e extensão como esse levará ainda algum tempo a ser materializado”, disse.

“Todos os países assinaram o acordo, de modo que não vejo que resistência poderia haver à unificação de uma ortografia, sobretudo quando as maiores diferenças que existem são entre as ortografias do Brasil, de um lado, e Portugal e os outros países (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), de outro. Ora, tanto o Brasil como Portugal já ratificaram o acordo”, acrescentou.