Ndolamb Ngokwey, 12/02/07

Ndolamb Ngokwey, 12/02/07

O coordenador residente das Nações Unidas em Moçambique, falou à Rádio ONU, de Maputo, sobre as cheias que já provocaram, pelo menos, 29 mortos na região centro do país.

As fortes chuvas afectam também Angola, Madagáscar, Malawi, Zâmbia e Zimbabué.

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, lançou um apelo de emergência para as vítimas de várias enchentes na África Austral, incluindo Moçambique.

O coordenador residente das Nações Unidas em Moçambique, Ndolamb Ngokwey, falou à Rádio ONU, de Maputo, sobre o impacto das chuvas na região.

“Até agora, devido à chuva, o governo confirmou que há 61 mil pessoas já deslocadas e, infelizmente, 29 pessoas mortas. E há 4 mil casas destruídas, 111 escolas, 4 centros de saúde destruídos, como resultado das cheias”, disse.

O governo de Moçambique afirma que a maioria das vítimas é das províncias de Zambézia, Sofala e Manica, no centro do país. As autoridades moçambicanas enviaram soldados à região para ajudar no resgate das vítimas.

Segundo a ONU, em Maputo, ainda é cedo para falar de impacto das cheias na produção agrícola. Mas analistas dizem que pelo menos 15 mil hectares podem acabar destruídos pelas chuvas.