Índice de fecundidade na América Latina permanece estável, diz Cepal

Índice de fecundidade na América Latina permanece estável, diz Cepal

Um estudo da Comissão Económica de América Latina e Caraíbas, Cepal, constatou uma queda no índice de fecundidade em mulheres adultas e adolescentes em nível mundial, desde 1970.

A pesquisa produzida em conjunto com o Unicef, afirma que na América Latina e nas Caraíbas a taxa de maternidade permanece estável, apesar de um acentuado decréscimo da população adulta. De acordo com o documento, uma em cada cinco mulheres, na região, tem o seu primeiro filho antes dos 18 anos de idade.

A informação acrescenta que grande parte dos casos de gravidez em adolescentes não é desejada, e muitos originam situações de abuso de crianças.

O Unicef e a Cepal concluem que a maternidade precoce influi negativamente na persecução dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, porque afecta principalmente jovens das famílias mais carenciadas.

O estudo está publicado no boletim trimestral “Desafios”, produzido conjuntamente pela Cepal e Unicef. A publicação tem um espaço dedicado à opinião de jovens e políticos, no qual se podem encontrar matérias sobre maternidade e gravidez precoce.