Brasil abriga conferência da OMS sobre combate ao cultivo de fumo BR

Brasil abriga conferência da OMS sobre combate ao cultivo de fumo

Cerca de 100 representantes de países produtores de tabaco estão reunidos em Brasília numa conferência internacional para debater alternativas ao plantio de tabaco no mundo.

“A maior parte dos produtores gostaria de plantar outra coisa. Só que eles precisam de uma cultura que mantenha pelo menos o nível de vida que têm com um rendimento que seja sustentável. Eles precisam de um mercado assegurado para colocar seus produtos. Os produtores são bastante sensíveis, principalmente o grupo de pequenos fumicultores que se sentem muito lesados pela relação que eles têm com a indústria do tabaco”, explicou Costa e Silva.

O Brasil, segundo maior produtor e exportador de tabaco, é um dos 144 países que ratificaram a chamada Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco.

Costa e Silva afirma que o consumo de cigarro no Brasil caiu nos últimos 20 anos devido a campanhas de conscientização. Segundo a consultora da Opas, o consumo de tabaco deve ser interpretado como uma doença grave.

“É uma dependência causada pela nicotina que tem um código de doença na classificação da Organização Mundial da Saúde. Ter o estímulo social, comportamento do grupo favorecendo o fumo são importantes para a iniciação, mas depois que a pessoa cria a necessidade, ela fuma porque é dependente e precisa procurar o cigarro quando sofre abstinência. O fumante desenvolve esse tolerância, que é uma característa das drogas que causam dependência”, disse.

A conferência internacional da Opas em Brasília deve terminar nesta quarta-feira.