Custos de pirataria e falsificação ultrapassam os US$ 100 biliões

Custos de pirataria e falsificação ultrapassam os US$ 100 biliões

Um relatório da Organização Mundial de Propriedade Intelectual das Nações Unidas, Ompi, sugere que o equivalente a mais de 100 biliões de dólares são perdidos todos os anos para falsificação e pirataria de produtos.

Cerca de 800 representantes de governos e especialistas participam da conferência para debater formas de prevenção da actividade ilícita.

O director do sector de Marcas, Desenhos Industriais e Indicações Geográficas, da Ompi, José Graça Aranha, disse à Rádio ONU, de Genebra, que a pirataria causa prejuízo a todos.

“Quem mais se prejudica é o público em geral. Existem problemas de saúde pública, medicamentos que são pirateados; têm determinados isqueiros, por exemplo, que podem explodir na mão de uma pessoa. Ou seja, o público, em geral, perde com isso”, explicou.

Graça Aranha também informou que representantes do Brasil estarão na reunião. O país emitiu uma nota criticando uma pesquisa de que estaria na lista dos 10 países com maior número de casos de pirataria.

“A incidência de pirataria no Brasil existe, é lógico, e existe em muitos outros países. Eu entendo que há um esforço em vários sectores na sociedade brasileira para tentar combater a pirataria, inclusive, o secretário-executivo de Combate à Pirataria no Brasil estará aqui e será um dos 52 oradores a se apresentar. Certamente, ele será questionado com relação a esse estudo”, disse.

O 3º Congresso sobre Pirataria e Falsificação termina nesta quarta-feira.