Luta contra HIV precisa de participação de todos, diz Annan
BR

1 dezembro 2006

O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, afirmou que os esforços para vencer o HIV/Aids precisam ser feitos por toda a sociedade. A mensagem de Annan foi apresentada em Nova York para marcar o Dia Mundial de Luta contra a doença.

Segundo Annan, empregadores devem discutir o tema nos locais de trabalho, pais e filhos em casa, e o direito das mulheres em se prevenir não deve ser deixado de lado.

Nos últimos 25 anos, a doença matou 25 milhões de pessoas. E atualmente quase 40 milhões estão infectados com o HIV.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT, informou que em 2005, cerca de 3,5 milhões de pessoas em idade produtiva perderam a luta contra a doença.

Mas para Kofi Annan, o cenário de combate à Aids melhorou nos últimos 10 anos com mais apoio e financiamento na prevenção ao vírus.

No Brasil, o Ministério da Saúde afirma que o tratamento universal aumentou também para grupos específicos de pacientes, como por exemplo, usuários de drogas. Como contou à Rádio ONU, o vice-diretor do Programa de DST/Aids no país, Carlos Passarelli.

“No caso brasileiro, ainda temos uma epidemia concentrada, ou seja, a epidemia é mais forte em determinados grupos populacionais, sem atingir a população geral como um todo. Isso mostra que as ações de prevenção que vêm sido desenvolvidas desde o início da epidemia tem surtido efeito. E basicamente, o que tem se insistido do ponto de vista da prevenção é o uso consistente, regula,r do preservativo nas relações sexuais”, afirma.

Já para a representante do Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, no Brasil, Alanna Armitage, a prevenção tem que ser um cuidado constante.

“Nunca se pode baixar a guarda quanto à prevenção do HIV/Aids. É evidente que as mensagens têm que ser constantes porque acho que a tendência humana é baixar a guarda. Então acho que é muito importante sim que os programas nacionais de Aids tenham sempre essas mensagens constantes para a população geral e para a população vulneráveis”, diz.

Segundo o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre Aids, Unaids, o maior número de pessoas contaminadas vive na África Subsaariana.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud