Annan considera que o voluntariado é uma recompensa

Annan considera que o voluntariado é uma recompensa

As Nações Unidas celebram esta terça-feira, o Dia Internacional dos Voluntários para homenagear milhões de pessoas que constituem um exército de defesa dos atributos mais visíveis e desejáveis da cidadania global.

Annan acrescentou que o mundo tem os recursos e a visão necessários para fazer da pobreza uma história do passado, para acabar com a fome e fazer com que o desenvolvimento seja uma realidade para todos.

João Salviano, membro do Fórum Europeu da Juventude, falou à Rádio ONU, de Lisboa, sobre as iniciativas desenvolvidas por essa organização em direcção a África:

“Eu poss-lhe falar de iniciativas de exemplos de organizações membros do Fórum Mundial da Juventude que têm trabalhos muito sérios de cooperação em África, em que equipas voluntárias vão para dar formação, para construir escolas, hospitais, e muitas das vezes esse processo passa por trazer os africanos para a Europa”.

A ONU considera que o voluntariado é, já por si, uma recompensa. Só em 2005, a ONU mobilizou 8,4 mil voluntários, representando 168 nacionalidades.

Desde 1971, mais de 30 mil voluntários das Nações Unidas participaram em acções de ajuda humanitária.