Passar para o conteúdo principal

Sudão aceita assessores militares da ONU para região de Darfur

Sudão aceita assessores militares da ONU para região de Darfur

As Nações Unidas informaram que nos próximos dias deverá viajar para o Sudão o primeiro grupo de assessores de polícia e oficiais militares da ONU que vão auxiliar as forças de paz na região sudanesa de Darfur.

Na perspectiva da ONU, trata-se de um primeiro passo no sentido da criação da força mista de paz para a região de Darfur, proposta pelo Secretário-Geral, Kofi Annan, que deverá englobar 17 mil soldados e 3 mil policias.

Antes do anúncio do acordo, Rádio ONU conversou com Carlos Lopes, director para os Assuntos Políticos do gabinete do Secretário-Geral, que explicou a complexidade das negociações.

“É um país que tem um peso muito grande na geopolítica africana e o Darfur está no centro do furacão, porque neste momento, é, talvez, a maior crise humanitária do mundo. E os esforços do Secretário-Geral são esforços para conseguir que se aceite uma missão de paz da ONU. Porque, primeiro, há a confusão porque as pessoas pensam que já está lá uma missão de paz da ONU e não está. Está uma da União Africana, como nós sabemos” disse Lopes.

O objectivo da força de paz será proteger da violência a população de Darfur, onde já morreram mais de 200 mil pessoas, devido aos confrontos.