Nações Unidas ultimam repatriação de refugiados angolanos

28 dezembro 2006

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados, Acnur, iniciou mais uma operação de repatriação de mais de 12 mil refugiados angolanos residentes na República Democrática do Congo.

Oficialmente a operação de repatriamento de refugiados angolanos terminou em 2005, mas a agência da ONU decidiu estender a missão para ajudar alguns deslocados que viviam fora dos campos estabelecidos.

Rádio ONU, conversou com Diamantino Feijóo, refugiado angolano no Brasil que saudou a criação das condições para o regresso dos seus compatriotas.

“A paz chegou em 2002 em Angola, isso é facto memorável e que ficará para sempre na vida de todos angolanos e acredito que não só na vida dos angolanos mas todos os africanos, porque quando um país africano sofre, eu acredito que todos os outros sofrem juntos” disse Feijó.

Diamantino Feijóo sugere algumas medidas para ajudar a reintegração dos repatriados.

“Essas pessoas que estão voltando, pelo menos têm que ser ajudadas de certa forma. Eu acho que o Ministério da Reinserção Social se não conseguir casas, deve conseguir escolas para que essas pessoas se consigam formar, porque só com os estudos é que a gente consegue ser alguém e dar a volta por cima” disse.

A implementação do programa das Nações Unidas permitiu o regresso às áreas de origem e consequente reassentamento de 3,8 milhões de deslocados e mais de 400 mil refugiados angolanos regressados da Zâmbia, Congo Brazzaville, República Democrática do Congo e Namíbia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud