Chuvas fustigam campos de refugiados somalis no Quénia

Chuvas fustigam campos de refugiados somalis no Quénia

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, Acnur, tem vindo a alertar a comunidade internacional para a dramática situação que estão a viver os deslocados dos três maiores campos de refugiados somalis no Quénia.

Geoff Wordley, lembrou que o Acnur tem três campos na região e um deles, o Ifo, tem sido o mais afectado pelas chuvas torrenciais e pelas inundações. Os outros campos são Dadaab e Dagahaley. Wordley revelou ainda que as chuvas inundaram o hospital local.

O representante do Acnur informou que depois de vários dias com níveis de água muito elevados, houve uma ligeira acalmia mas a situação voltou a piorar nas últimas horas.

O Acnur informou que mais de 78 mil pessoas estão desalojadas devido às inundações.

A ONU vem quanto a disseminação de doenças, como a Malária e doenças diarreicas, devido à contaminação das águas.

Por outro lado, Francois Lonseny Fall, enviado especial das Nações Unidas para a Somália reuniu-se, nesta segunda-feira com representantes do governo somali com o objectivo de incentivar as autoridades de Mogadiscio a retomar as negociações com os rebeldes islâmicos.

A ONU tem manifestado a sua preocupação com o aumento das hostilidades na região, agravada com as inundações que vêm afectando o país nos últimos dias.