Secretário-Geral apresenta estudo sobre violência contra mulheres
BR

9 outubro 2006

O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, apresenta nesta segunda-feira em Nova York um novo estudo sobre violência contra mulheres.

Para a professora de Direito e membro do comitê Cedaw da ONU, que estuda a discriminação contra mulheres, Silvia Pimentel, a nova lei sobre violência doméstica e familiar contra a mulher, no Brasil, deve ajudar na prevenção.

“Fundamentalmente, o espírito é de prevenir a violência. É interessante dizer que é muito mais para prevenir que para punir, no sentido de que é preciso educar, e chamar à atenção de que existe ainda um conjunto de atitudes, preconceitos e estereótipos que naturalizam a violência contra a mulher”, afirmou.

De acordo com Silvia Pimentel, é preciso uma ação coordenada para levar as mulheres a ter coragem de denunciar os agressores.

“O que nós precisamos, efetivamente, é de uma grande campanha nacional de superação deste medo, que muitas vezes, encontra até uma justificativa na medida em que as mulheres não têm medidas de proteção por parte da lei. E, elas muitas vezes, têm medo e com razão. Agora, outra razão, as mulheres dizerem: ‘Nós queremos denunciar os nossos maridos mas não queremos que eles sejam presos’. Muita gente está interpretando a nossa lei como se fosse para dizer ‘agora sim os homens vão ser presos’. Nós queremos dizer que a idéia não é esta”, concluiu.

O estudo sobre violência contra a mulher, apresentado por Kofi Annan, afirma que há várias formas de violência como por exemplo física, sexual, psicológica e econômica. Segundo o relato, cerca de 70 países já fizeram pelo menos uma pesquisa sobre violência feminina.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud