Freiras se preparam em Portugal para combater tráfico humano

27 outubro 2006

Freiras dos países de língua portuguesa estão a receber um curso intensivo, em Portugal, promovido pela Organização Internacional para as Migrações, com o objectivo de reforçar o trabalho de apoio às vítimas do tráfico humano.

A irmã Franca Artini, da União Internacional das Superioras Gerais, ilustrou para a Rádio ONU, os desafios que as freiras em formação vão enfrentar:

“Nos tempos actuais, ainda a humanidade continua neste estágio a ter que falar de tráfico de seres humanos. É muito triste não é verdade! Séculos atrás, havia esse problema. Hoje tem características diferentes”.

Sabe-se que muitas pessoas, ao optarem pela emigração clandestina, desconhecem o que lhes reserva o destino. Muitas morrem ou são atiradas ao mar e quando chegam podem ser objecto de exploração sexual ou são usadas para enriquecer o negócio dos traficantes de órgãos.

A irmã Franca Artini, questiona as responsabilidades e sugere medidas:

“Eu digo: fazer o máximo em termos de prevenção. Ter políticas, leis que favoreçam essa questão. Eu diria, essas pessoas nem deveriam partir. Não é verdade? Como é que partem? Em certos países partem com muita facilidade. Como é que não se pode impedir isso?

Nos últimos três anos, a Organização Internacional das Migrações já formou mais de 1500 religiosos de países europeus, africanos, asiáticos e latino-americanos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud