Tribunal em Haia condena líder sérvio-bósnio a 27 anos de prisão
BR

27 setembro 2006

O Tribunal Criminal Internacional para Ex-Iugoslávia condenou o líder servio-bósnio Momcilo Krajisnik a 27 anos de prisão por crimes de guerra.

Krajisnik foi acusado de ser um dos arquitetos de crimes cometidos contra a população não-sérvia na região durante a Guerra da Bósnia entre 1992 e 1995.

Mas o tribunal o absolveu das acusações de genocídio afirmando que não havia provas suficientes para condená-lo.

O líder sérvio-bósnio atuava como porta-voz do Parlamento sérvio-bósnio e era um dos assessores mais próximos de Radovan Karadzic, que ainda está sendo procurado pela justiça.

O juiz Alphons Orie afirmou que Krajisnik era parte de um esquema criminoso que realizou extermínios, assassinatos, perseguição e deportação de cidadãos não-sérvios durante a guerra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud