Brammertz diz que houve progressos no caso Hariri

29 setembro 2006

Serge Brammertz (foto) informou esta sexta-feira o Conselho de Segurança sobre progressos registados na investigação do assassinato do antigo primeiro ministro libanês, Rafiq Hariri.

O investigador belga revelou que o inquérito tinha assumido agora uma dimensão internacional.

Brammertz disse que nos últimos seis meses a sua comissão tinha enviado 17 pedidos de assistência a vários países.

O investigador da ONU deu pormenores do relatório que divulgou esta semana que apontavam para novas provas de que o bombista detonou quase duas toneladas de explosivos, colocados num camião Mitsubishi, para matar Hariri e 22 outras pessoas em Fevereiro do ano passado.

Serge Brammertz disse que análises de DNA levadas a cabo nos restos mortais no local do crime produziram resultados cruciais. Revelou ainda que a sua comissão de inquérito estava a estudar informações segundo as quais Hariri pode ter sido alvo, no passado, de outros atentados contra a sua vida.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud