OMS preocupada com prevalência da lepra em Moçambique

7 agosto 2006

O presidente da Fundação Nippon e embaixador de Boa Vontade da Organização Mundial da Saúde para a eliminação da lepra, o japonês Yohei Sasakawa, encontra-se desde domingo em Moçambique para uma visita de três dias.

O embaixador de Boa Vontade da OMS para a eliminação da lepra deslocou-se esta segunda-feira a Nampula, província que detêm metade dos casos da doença no país, segundo Glória Moreira, porta-voz da Organização Mundial da Saúde em Maputo.

“Nampula é a província que detêm mais casos da lepra em Moçambique. Existe lepra em todo o país, mas a zona centro e norte é a área que tem mais casos.

Sasakawa deslocou-se hoje a Nampula onde manteve encontros com as autoridades locais da saúde e do governo, com parceiros que trabalham na área, com doentes e ex-doentes da lepra e também com associações que representam pessoas que padecem desta doença.”

O ano de 2005 foi consagrado à eliminação da lepra no mundo, o que significa a nível nacional uma prevalência de menos de um caso por 10 mil habitantes.

Oito países africanos são considerados altamente endémicos nomeadamente Angola, República Centro-Africana, Guiné-Conakri, República Democrática do Congo, Madagáscar, Tanzânia e Moçambique.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud