Tribunal de Arusha pede ao Quénia para prender suspeito de genocídio

21 agosto 2006

O Tribunal Criminal Internacional para o Ruanda voltou a pedir ao governo do Quénia para prender um suspeito de genocídio no Ruanda.

Existem informações de que Kabunga possa ter procurado refúgio no Quénia. Na semana passda, um outro acusado de genocídio, Emmanuel Nteziryayo, foi descoberto na Grá Bretanha, onde vivia com um nome falso.

Cerca de 800 mil pessoas da etnia tutsi foram assassinadas por milícias radicais hutus durante o genocídio de 1994, que durou 100 dias.

O Tribunal Criminal Internacional para o Rwanda, sediado em Arusha, na Tanzânia, já condenou 28 pessoas pela sua participação no genocídio.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud