OIT realiza discussão sobre perigos do trabalho forçado no Brasil
BR

28 agosto 2006

Terminou neste fim de semana em Palmas, no Tocantins, um seminário sobre formas de trabalho escravo no Brasil.

Segundo a porta-voz da OIT em Brasília, Andréa Bolzon, a conscientização para o crime do trabalho forçado tem aumentado não só na mídia, mas também na aplicação da lei.

“Esses fazendeiros são criminosos, e isso precisa ficar muito claro. Nós não estamos falando de condições ruins, salários baixos e nem de carteira não assinada. Mas sim de gente que trafica seres humanos, confina esses seres humanos numa área geograficamente isolada, e essas pessoas ficam com uma dívida que não conseguem pagar nunca”, disse Bolzon.

Segundo a OIT no Brasil, somente nos primeiros meses deste ano já foram resgatados mais de 400 trabalhadores escravos no Tocantins.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud