Timor-Leste elogia mensagem de Annan pedindo o fim da violência
BR

1 junho 2006

O porta-voz interino do primeiro-ministro do Timor Leste, Miguel Sarmento, elogiou a mensagem do Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan pedindo o fim da onda de violência no país.

O porta-voz interino do governo disse que a mensagem é muito útil num momento de tensão com o vivido pelo país.

“Sempre os apelos à paz são bem-vindos, e esperamos também que tenha algum eco na população principalmente. Continua a haver refugiados acampados em partes da cidade onde se sentem mais seguros nomeadamente em locais, onde está a presença das tropas australianas”, afirmou Sarmento.

A onda de violência no Timor-Leste começou em abril após protestos de cerca de 600 soldados que haviam sido demitidos.

Os choques se intensificaram na semana passada, quando nove pessoas morreram e 27 ficaram feridas incluindo dois funcionários da ONU.

O governo da ex-colônia portuguesa pediu ajuda de tropas estrangeiras, que já chegaram ao país. A maioria do contingente vem da Austrália como explicou a jornalista timorense da rádio australiana SBS, Maria Gabriela Carrascalão.

“Se hoje o governo tem uma posição de apoio ao Timor-Leste deve-se à população australiana que muito o pressionou. Esses últimos desacatos em Timor que provocou o pedido do governo por uma intervenção das tropas australianas foi acolhido com grande apoio da população australiana. Afinal, o Timor-Leste é mesmo aqui do lado, e existe portanto o anseio em que haja uma solidariedade nessa região” disse Carrascalão.

No início da semana, o presidente timorense Xanana Gusmão assumiu poderes emergenciais para conter a onda de violência agravada com uma série de saques e assaltos em Díli, capital do país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud