CS apela ao fim violências e abusos contra civis nas zonas de conflito

28 junho 2006

O Conselho de Segurança da ONU condenou quarta-feira as violências e abusos contra as populações civis nas zonas de conflito e apelou às partes envolvidas a acabarem com essas práticas.

O Conselho de Segurança apelou à comunidade internacional a apoiar os Estados para que respeitem os seus compromissos e pediu às partes a assegurarem que os planos de paz levam em conta as necessidades especiais das mulheres e das crianças.

A repórter Kacy Lin com mais pormenores sobre a posição da ONU em relação à protecção dos civis em zonas de conflito.

“O debate sobre a protecção das populações civis durante os conflitos armados começou oficialmente a 12 de Fevereiro de 1999 com um pedido formal do Secretário-Geral ao Conselho de Segurança no sentido de se garantir essa protecção. Em Setembro de 2000, a Assembleia Geral adoptou a Declaração do Milénio que considera uma prioridade a protecção dos vulneráveis e propõe o reforço da protecção dos civis em situações de emergência, de acordo com a legislação internacional. O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, defensor de uma ‘cultura de protecção’, reiterou várias vezes que a comunidade internacional não pode ficar neutra quando seres humanos estão a sofrer devido aos conflitos. Por conseguinte, as Nações Unidas definiram quatro objectivos, designadamente a segurança dos civis, o acesso humanitário às populações vulneráveis, o destacamento de forças armadas para garantir a segurança dos civis e uma ligação entre responsáveis civis e militares nas operações humanitárias”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud