Annan diz que mídias global e nacional são agentes de mudança
BR

3 maio 2006

O Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, ressaltou o papel transformador da mídia no mundo durante um discurso sobre o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. A mensagem de Annan foi apresentada em Nova York pelo subsecretário-geral de Informação da ONU, Shashi Taroor.

Annan lembrou que muitos trabalhadores da imprensa têm sido assassinados, presos e sofrido violência por defender o direito à liberdade de expressão.

De acordo com o relatório do Comitê de Proteção a Jornalistas, 47 profissionais foram mortos no ano passado, e 11 neste ano. O documento informa ainda que a Coréia do Norte é o país com mais censura no mundo seguido por Mianmar, a antiga Birmânia, Turcomenistão, Guiné-Equatorial e Líbia.

Entre os países latino-americanos, Cuba é o único citado no relatório como informou o coordenador do Comitê de Proteção a Jornalistas em Nova York, Carlos Lauria.

Segundo Lauria, Cuba é depois da China, o país com o maior número de jornalistas na cadeia. São 24 ao todo. Lauria explicou como o comitê tem lidado com o assunto.

Lauria disse que o Comitê de Proteção a Jornalistas encaminhou cartas ao governo de Cuba, mas que não recebeu nenhuma resposta imediata.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud