Cabo Verde e parceiros discutem saída dos PMA

30 maio 2006

As autoridades de Cabo Verde e os seus parceiros discutem até quarta-feira na Cidade da Praia a saída do arquipélago do grupo de Países Menos Avançados (PMA) da ONU.

"A transição muda o estatuto de Cabo Verde particularmente no que concerne ao acesso a determinados financiamentos internacionais e aos mercados, porque há facilidades específicas para os PMA, e alguns apoios do Sistema das Nações Unidas, etc. O que queremos dizer aos nossos parceiros nesta fase é que Cabo Verde, que já preencheu dois dos três critérios de graduação, e que continua a ser um país extremamente vulnerável do ponto de vista económico, precisa de um período de transição para consolidar as conquistas realizadas e poder chegar assim ao ponto de não retorno», explicou Borges.

De acordo com o chefe da diplomacia cabo-verdiana, algumas instituições têm reagido favoravelmente à preocupação das autoridades do arquipélago.

"Felizmente temos tido reacções positivas do Banco Mundial e do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), segundo os quais Cabo Verde vai continuar a beneficiar de condições concessionais de acesso aos financiamentos para o desenvolvimento. Se todos estamos convencidos que o desenvolvimento é um objectivo planetário, deve haver continuidade de ajuda, independentemente da graduação, apoiando as dinâmicas positivas. Temos tido reacções positivas nesse sentido. Agora vamos ver como é que os parceiros irão a médio e longo prazos reagir ao nosso discurso", acrescentou o ministro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud