Mensagem do Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan, ao povo de Timor-Leste

31 maio 2006

31 de Maio – 01 de Junho ~~

O vosso país ocupa um lugar especial no coração das Nações Unidas, não apenas por ser o nosso membro mais novo, mas por se tratar de um Estado de que somos orgulhosos de ter ajudado a conquistar a sua independência há quatro anos.

Podem então imaginar qual é a nossa anxiedade e tristeza ao vermos as imagens, das últimas semanas, do aumento da tensão política e da violência em Timor-Leste, e os seus trágicos efeitos: dezenas de perdas humanas, milhares de pessoas deslocadas, propriedades destruídas em larga escala.

Vimos imagens agonisantes, familiares tanto para nós como para vocês: mulheres e crianças fugindo, casas queimadas, violências brutais contra civis desarmados e, uma vez mais, uma intervenção militar estrangeira para acabar com o sofrimento.

O vosso caminho para a independência foi penoso e tenho a certeza que não esperam que a rota para a construção de uma nação seja fácil. Mas nos últimos quatro anos, conseguiram lançar as bases para um Estado democrático. Vocês acreditam – e nós também – que resolver as diferenças políticas pela violência é coisa do passado. Por isso, a nova onda de violência é bastante desoladora. Precisamos reflectir seriamente sobre o que está a acontecer e o caminho a percorrer.

Não percamos esperança. Antes pelo contrário, actuemos juntos com urgência para evitar que a situação se deteriore mais. Cada um de nós tem um papel a desempenhar.

Os dirigentes devem assumir a sua responsabilidade pelos seus erros. Já falei com os vossos líderes políticos e pedi-lhes que trabalhassem com os líderes religiosos e comunitários para acabar com a crise. Caso contrário, a vossa preciosa comunidade nacional – que impressionou bastante o mundo inteiro pela sua força e coragem -, vai acabar por ser consumida pela violência caótica, pelas divisões intolerantes e por interesses pessoais ao mesmo tempo que podem perder o espaço político no seio do qual as partes podem competir pacificamente para o poder.

Vocês, povo de Timor-Leste, devem se opôr a todos aqueles que procuram dividir-vos por razões regionais ou étnicas. Não deixem que ninguém explora as mais pequenas diferenças para roubar-vos a paz, a democracia e a possibilidade de acabar com a pobreza, en que se encontram. Não deixem ninguém tomar-vos a liberdade cuja conquista vos custou bastante e o direito de viver em segurança e sem medo.

Nós, comunidade internacional, incluindo as Nações Unidas, devemos lançar um olhar crítico sobre o nosso recente papel. De igual modo, devemos estar do lado de Timor-Leste, nesta hora em que mais precisa. Investimos muito para ajudar-vos a alcançar as vossas aspirações. Não deixaremos que este investimento seja deitado fora.

Neste momento crucial, toca-me bastante ver que os líderes de Timor-Leste estão a fazer um enorme esforço para ficarem unidos, para acabar com a crise e tomar as medidas adequadas no âmbito da constituição.

Encorajo-os a continuar nesse caminho, a colocarem de lado as suas diferenças em nome do interesse do povo e da nação.

Peço aos membros das forças de defesa e segurança a respeitarem as suas regras para garantir o respeito da constituição e da lei.

E apelo a todos a apoiarem as medidas de urgência anunciadas a 30 de Maio.

Saudo os Estados membros das Nações Unidas – Austrália, Malásia, Nova Zelândia e Portugal – que responderam ao apelo do Governo ao enviar tropas e polícias para ajudar a restabelecer a ordem e a estabilidade.

Muitos de vocês se lembram de Ian Martin, que esteve ao vosso serviço como meu Representante Especial em 1999, durante a Consulta Popular em que escolheram a independência. Enviei-o de novo a Timor-Leste na qualidade de meu Enviado-Especial para acompanhar a situação actual e ajudar as partes a se juntarem, a identificarem e abordarem os problemas.

Ao mesmo tempo, o UNOTIL (o Escritório das Nações Unidas para Timor-Leste) vai continuar a desempenhar a sua missão até que o Conselho de Segurança decide qual deve ser apoio das Nações Unidas nos próximos meses.

Caros amigos, não desesperem. As Nações Unidas estão do vosso lado neste momento crucial. E assim será enquanto estiverem empenhados nessa nobre tarefa de construir uma nação timorense unida e prospera.

Viva Timor-Leste!

Kofi Annan

Secretário-Geral da ONU

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud