Ajuda humanitária

ONU: mundo precisará de US$ 10 bilhões para combater fome em mais de 80 países
BR

Alerta feito pelo Programa Mundial de Alimentos, PMA, destaca áreas na África Subsaariana; Moçambique teve uma das maiores operações após ciclones; Haiti, Afeganistão, Iraque e Líbano entre prioridades para 2020.

PMA recebe € 7,5 milhões para apoiar pessoas em risco de fome em Moçambique
BR

Cerca de 1,9 milhão de pessoas podem enfrentar essa situação no primeiro trimestre do próximo ano; nova contribuição da União Europeia faz subir para € 30 milhões o valor de apoio dado à agência no país nos últimos 10 anos.*

Acelerar a recuperação de Moçambique após ciclones é nova meta da ONU
BR

Reservas de emergência esgotaram na resposta humanitária a ciclones de 2019; Escritório de Assistência Humanitária alerta que pelo menos uma grande tempestade poderá atingir o país na atual temporada de ciclones. 

Cerca de 5,5 milhões de pessoas podem passar fome no Sudão do Sul em 2020
BR

Plano de Resposta Humanitária foi publicado esta quinta-feira; 7,5 milhões de pessoas precisam de assistência ou proteção humanitária no país; ONU e parceiros precisam de US$ 1,5 bilhão para esse apoio.

ONU expande ajuda alimentar no Haiti para 700 mil pessoas
BR

Cerca de 3,7 milhões de haitianos precisam de apoio, com 1 milhão de pessoas enfrentando situação de fome severa; programa de alimentação escolar fornece refeições para 300 mil crianças anualmente em 1,2 mil escolas. 

Unicef quer ajudar número histórico de crianças no próximo ano
BR

Agência emitiu o maior apelo de financiamento de emergência já feito; meta é ajudar 59 milhões de meninos e meninas em 64 países; uma em cada quatro crianças vive em um país afetado por conflitos ou desastres. 

Número recorde de 168 milhões de pessoas precisarão de ajuda em 2020
BR

Panorama Humanitário Global foi publicado esta quarta-feira; choques climáticos, surtos de doenças e conflitos são as principais causas do aumento; número de necessitados deve continuar a crescer, chegando a mais de 200 milhões em 2022.

Zimbábue enfrenta fome causada pelo homem, diz especialista da ONU
BR

Estima-se que insegurança alimentar esteja afetando 5,5 milhões de pessoas nas áreas rurais do país africano; nas áreas urbanas, problema é enfrentado por 2,2 milhões de pessoas.*

Chefe humanitário visita Sudão e diz que crise afeta mais meninas e mulheres
BR

Mark Lowcock concluiu visita de dois dias ao país no domingo; ele se encontrou com pessoas afetadas por desastres naturais, doenças e crises econômicas; mais de 8,5 milhões de sudaneses precisam de assistência para sobreviver.

Chefe humanitário diz que “todos precisam fazer mais” para apoiar Venezuela
BR

Mark Lowcock, que visitou o país por três dias, disse que sofrimento humano não pode ser usado politicamente; ele descreveu riscos como exploração sexual, tráfico e abusos enfrentados, diariamente, por quem tenta fugir da crise.