Oriente Médio

Agências humanitárias pedem US$ 701 milhões para ajudar iraquianos

Ocha e parceiros apresentaram Plano de Resposta Humanitária de 2019; mais de 1 milhão de pessoas estão deslocadas; Plano prevê operações de 94 parceiros humanitários que prestam assistência em 10 províncias do país.

Síria: 12 milhões de pessoas dependem agora de ajuda humanitária

Secretária-geral-adjunta para os Assuntos Humanitários descreve atual situação no país; conflito arrasta-se há oito anos; escalada de violência recente em Idlib provocou destruição de escolas e hospitais. 

ONU “condena veementemente” decapitação de 37 pessoas na Arábia Saudita

Pelo menos três dos executados eram menores de idade no momento em que foram condenados à morte; maior parte dos executados era xiita; ONU apela à suspensão das execuções pendentes.

Irã precisa muito de apoio internacional após enchentes, diz ONU
BR

Efeitos das fortes chuvas atingiram 24 das 31 províncias do país desde 19 de março; mais de 2 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária urgente.

Explosão perto de escolas no Iêmen mata 14 crianças

Maioria das vítimas eram meninas que estavam nas aulas; mais de 2 milhões de crianças não vão à escola no país; em pouco mais de três anos, 2.672 crianças perderam a vida como resultado do conflito e 4.371 ficaram feridas. 

Secretário-geral visita acampamento de refugiados palestinos na Jordânia

António Guterres esteve no acampamento Baqa'a, onde vivem quase 120 mil refugiados da Palestina; chefe da ONU destacou importância de continuar a financiar os serviços vitais que a Unrwa. 

Guterres defende Oriente Médio e África como “região de oportunidades”

Secretário-geral participou no Fórum Econômico Mundial que acontece no Mar Morto, na Jordânia; segundo o chefe da ONU, paridade de gênero aumentaria o produto interno bruto da região em US$ 2,7 trilhões até 2025.

Guterres com esperança de que “ainda seja possível evitar confronto sangrento” na Líbia

Secretário-geral visitou o país para evitar confrontos militares; depois de encontros com vários representantes, chefe da ONU afirmou que saía do país “com uma preocupação profunda e um coração pesado.”