África

OIM em Moçambique fala dos desafios da ajuda humanitária aos afetados pelo ciclone Eloíse

A Organização Internacional para as Migrações, OIM, em colaboração com Governo de Moçambique, outras entidades das Nações Unidas e parceiros oferece resposta humanitária aos afetados pelo ciclone Eloíse no centro do país. A líder do grupo de saúde da OIM na Beira, Angélica Sitoe, revelou por que a situação de saúde merece primazia nas ações de auxilio.

Representante do Unfpa em Moçambique fala da proteção aos afetados pelo ciclone Eloíse

O Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, uniu-se aos esforços liderados pelo Governo de Moçambique para avaliar os danos causados pelo ciclone Eloise na área central do país. A representante da agência em Moçambique, Andrea Wojnar, disse à ONU News em Maputo que as mulheres não param de dar à luz e os riscos de violência baseada no gênero aumentam durante situações de emergência como conflitos e desastres.

ONU apoia Moçambique na resposta a ciclone Eloíse
BR

Neste Destaque ONU News, saiba como as agências da ONU estão ajudando o país de língua portuguesa depois do ciclone Eloíse, que atingiu o território no último fim-de-semana; pelo menos 250 mil pessoas foram afetadas e 18 mil deslocadas; coordenadora residente da ONU no país pede mais investimentos em resiliência climática.

Entrevista: Chefe da ONU em Moçambique fala sobre passagem de nova tempestade
BR

Neste Destaque ONU News, a coordenadora residente da ONU em Moçambique, Myrta Kaulard, explica como a organização está ajudando as autoridades nacionais na resposta; para a chefe do Sistema das Nações Unidas no país, o momento é de mobilização humanitária tendo em vista milhões de afetados.

Entrevista com a Conselheira especial do secretário-geral da ONU para a África

Cristina Duarte falou à ONU News sobre desafios e oportunidades para o próximo ano; segundo ela, os africanos têm a chance de reconstruir melhor após a pandemia; ex-ministra de Cabo Verde ressaltou ainda a importância de um grande esforço coletivo para combater fluxos ilícitos em África, que atingem pelo menos US$ bilhões. Leia a íntegra da primeira parte da entrevista.

Entrevista com a Conselheira especial do secretário-geral da ONU para a África

Conselheira especial do secretário-geral da ONU para o continente, Cristina Duarte falou à ONU News sobre desafios e oportunidades para o próximo ano; segundo ela, os africanos têm a chance de reconstruir melhor após a pandemia; ex-ministra de Cabo Verde ressaltou ainda a importância de um grande esforço coletivo para combater fluxos ilícitos em África, que atingem pelo menos US$ bilhões. Leia a íntegra da primeira parte da entrevista da subsecretária-geral à ONU News.

Vítimas de deslocamento aumentam em Cabo Delgado

Responsável de Relações Exteriores da Acnur em Moçambique, Juliana Ghazi revela que inúmeros ataques levaram mais pessoas a abandonarem as áreas de origem em Cabo Delgado, no extremo norte. Projeções apontam para o aumento de deslocados nos próximos meses.

Segunda parte da entrevista com Zahira Virani, nova coordenadora residente da ONU em Angola

Zahira Virani, a nova coordenadora residente das Nações Unidas em Angola fala sobre mulheres, recuperação econômica e combate à pandemia - chefe do Sistema ONU no país conversou com a ONU News após o aniversário de independência da nação africana. Assista à primeira parte da entrevista gravada no dia 12 de novembro.

Entrevista: Zahira Virani, coordenadora residente da ONU em Angola

Zahira Virani, a nova coordenadora residente das Nações Unidas em Angola fala sobre cooperação, desenvolvimento sustentável e combate à pandemia - chefe do Sistema ONU no país conversou com a ONU News após o aniversário de independência da nação africana. Assista à primeira parte da entrevista gravada no dia 12 de novembro.

Como Covid-19 afetou combate ao HIV na Guiné-Bissau
BR

Neste Destaque ONU News Especial, o responsável programático no Ministério da Saúde da Guiné-Bissau, David da Silva Té, explica as consequências que a pandemia teve no país africano; no Dia Mundial de Combate à Aids, marcado no 1º de dezembro, a ONU diz que a data é um lembrete da necessidade de manter o foco em uma pandemia global que ainda persiste quase 40 anos após seu surgimento.