Últimas notícias

Bangkok sedia negociações sobre mudança climática
BR

A caminho da assinatura de um novo acordo climático para substituir o Protocolo de Kyoto, rodada de debates pretende discutir novas estratégias para reduzir as emissões de carbono e para combater a degradação florestal nos países em desenvolvimento.

Ajuda humanitária em risco devido a conflitos
BR

Chefe do Acnur, António Guterres, afirma que o fornecimento de ajuda humanitária onde a linha de separação entre o civil e o militar é curta, é cada vez mais difícil e perigoso.

Raiva continua a matar cerca de 50 mil por ano

Maior parte das mortes ocorre em África e na Ásia; ONU marca nesta segunda-feira o Dia Mundial da Raiva.

50 mil morrem por ano vítimas da raiva
BR

ONU marca nesta segunda o Dia Mundial da Raiva; vacinação anual de cães e gatos é a única forma de combater a transmissão em humanos.

Namíbia quer posição mais dura contra golpes de estado

País disse à Assembleia Geral que a ONU deveria apoiar a posição de princípio da União Africana, UA, de não reconhecer governos formados após golpes de estado.

Unesco quer reforçar proteção de bens culturais
BR

Comitê da agência para Proteção aos Bens Intangíveis, como música, dança e tradições orais, irá decidir quais itens da cultura popular mundial precisam de proteção e incentivo.

FAO pede reforço agrícola em África

Segundo a agência da ONU, após décadas de declínio, o sector agrícola naquela região cresceu 3,5% em 2008, 1,5 pontos percentuais acima do crescimento populacional; órgão indica que esses ganhos foram causados por políticas agrícolas mais favoráveis e pela alta dos preços de alguns produtos nos mercados internacionais.

Ban discute questão nuclear com a Coreia do Norte
BR

Secretário-Geral encorajou as autoridades norte-coreanas a responderem de forma positiva a recentes iniciativas das Seis Partes; ele também expressou preocupação sobre a situação humanitária e de direitos humanos no país.

Conflitos dificultam resposta humanitária

O chefe do Acnur, António Guterres, disse que o fornecimento de ajuda humanitária em contextos onde a linha de separação entre o civil e o militar é cada vez mais turvo é difícil e perigoso.