21 outubro 2021

O editor-chefe do jornal russo Novaya Gazeta, Dmitry Muratov, é um dos vencedores do Prêmio Nobel da Paz este ano. Ele divide o prêmio com Maria Ressa, jornalista das Filipinas. Em entrevista à ONU News, ele fala sobre como vai gastar o dinheiro, aproximadamente US$ 1 milhão, por que ama o Novaya Gazeta e o que pensa sobre censura. 

 

ONU NEWS: Planejamos fazer essa entrevista na noite passada, mas me disseram que você estava com Mikhail Gorbachev. Pode nos falar sobre isso? 

Dmitry Muratov: Falamos, ele fez piadas. Por exemplo, ele falou sobre a missão da Novaya Gazeta: ele nos elogiou por “raramente desapontar a verdade”. Admito que não somos perfeitos, e tivemos nossos erros. 

ON: Você está feliz com a avaliação do seu trabalho? 

DM: Sim, estou muito contente.  

Jornalista e Prêmio Nobel da Paz Dmitry Muratov
Novaya Gazeta
Jornalista e Prêmio Nobel da Paz Dmitry Muratov

ON: Li na internet que a Novaya Gazeta, quando estava sendo criada, foi parcialmente financiada pelo Prêmio Nobel da Paz recebido pelo próprio Mikhail Gorbachev. 

DM: Ele me disse que, na verdade, não era o dinheiro do Prêmio Nobel. Era o dinheiro que eles ganharam publicando o livro "Espero" de Raisa Gorbacheva. Eles doaram tudo para comprar computadores para a Novaya Gazeta. Mas eu prefiro pensar que algum dinheiro do prêmio estava lá também. 

ON: Você já tem planos de como irá gastar o valor em dinheiro? 

DM: Vamos começar por mim, certo? Eu não vou aceitar e não vou receber nem um centavo dele. Isso está fora de questão. Uma vez que este é um Prêmio da Paz, então eu acredito que deve contribuir para esta causa. Fizemos uma reunião do conselho editorial para decidirmos como distribuir o dinheiro do Prêmio Nobel. Será doado para uma fundação de saúde que ajuda jornalistas, para uma fundação que apoia crianças com atrofia muscular espinhal e outras doenças raras graves, uma parte iria para a Fundação Prêmio Anna Politkovskaya, e, claro, uma parte iria para o hospício infantil em Moscou, a Fundação Vera, e a Clínica Dmitry Rogachev, onde crianças com leucemia são tratadas. É isso! 

ON: Você tem dito repetidamente que considera o Prêmio como um prêmio para toda a equipe da Novaya Gazeta e, principalmente, para aqueles que se foram. Anna Politkovskaya foi morta há 15 anos. 

DM: Sim, exatamente 15 anos em 7 de outubro. 

ON: Você não acha que o prêmio chegou tarde? 

DM: Bem na hora, eu acho. 

ON: Parabenizando os ganhadores do Prêmio Nobel da Paz, o secretário-geral da ONU disse: "Nenhuma sociedade pode ser livre e justa sem jornalistas capazes de investigar irregularidades, levar informações aos cidadãos, responsabilizar os líderes e falar a verdade ao poder". O que você acha? 

DM: Aqui está o que eu penso: esta é uma ideia absolutamente precisa, e eu gostaria de desenvolvê-la. Veja, o secretário-geral da ONU está falando sobre censura. O que é censura? É uma manifestação de desconfiança para seu próprio povo. Aqueles que introduzem a censura não confiam em seu povo. Em diferentes países do mundo, muitos indivíduos que, naturalmente, se consideram independentes, simplesmente não acreditam em seu povo. Eles acham que são eles que devem determinar o que as pessoas devem ler, assistir, ver e ouvir. Essa falta de confiança para com as pessoas é a coisa mais perigosa. Devem ter confiança nas pessoas. 

Dmitry Muratov e Maria Ressa são os vencedores do Prêmio Nobel da Paz em 2021
Euku via Wikimedia Commons/UNESCO
Dmitry Muratov e Maria Ressa são os vencedores do Prêmio Nobel da Paz em 2021

ON: O que você gostaria de dizer aos nossos ouvintes sobre o seu jornal? Como você sobrevive hoje em dia? 

DM: Bem, em primeiro lugar, graças às pessoas que temos. Temos uma equipe absolutamente incrível - estas são as estrelas do jornalismo soviético e russo, bem como pessoas que se tornarão as estrelas do jornalismo moderno. Alguns escrevem ensaios, outros, por exemplo, fazem pesquisa de big data. A combinação de ambos, a sinergia que temos em nosso escritório editorial, pessoas que escrevem textos brilhantes, e aqueles que fazem codificação e programação, que cavam por informações impossíveis, é para mim a receita para o nosso excelente sucesso. Eu realmente amo essa "tripulação furiosa de pessoas gentis". 

ON: O que você sabe sobre Maria Ressa? Vocês já se conheceram? 

DM: Eu sei muito sobre ela! Ela é uma excelente jornalista! A primeira edição do jornal publicada depois que soubemos do Prêmio tinha uma imagem de Maria Ressa na primeira página, não nos nossos rostos. Temos o maior respeito por ela. No passado, vários membros da nossa equipe fizeram seus cursos de capacitação. Hoje enviamos uma carta, queremos convidar a ganhadora do Prêmio Nobel da Paz para dar uma palestra para a equipe da Novaya Gazeta e para os alunos que participarão. Ela é uma mulher excepcional que sozinha confronta a tirania. 

ON: Então você aprova a escolha pelo Comitê do Nobel? 

DM: Estou encantado. Naturalmente, também estou muito feliz que a Novaya Gazeta recebeu o prêmio, é verdade, mas acho que Maria Ressa é uma escolha brilhante. Não sei como aconteceu tudo o que aconteceu. Só saberemos sobre isso apenas em 50 anos (quando o Comitê do Nobel divulgar todas as informações por trás do processo de nomeação e seleção). Mas não vou viver tanto tempo para vê-lo. Mas o fato de meu nome ser mencionado ao lado do dela é fascinante! 

ON: Você sabe como será realizada a cerimônia de premiação este ano? 

DM: Recebi uma carta esta manhã dizendo que a cerimônia será realizada em Oslo. Mas gostaria de encerrar nossa conversa dizendo que ficaríamos felizes em receber Maria em nosso escritório em Moscou. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud