9 março 2019

Dias antes da 63ª. Sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, CSW, a presidente da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, Ana Sofia Fernandes, identifica temas que mais preocupam a organização não-governamental; representante diz que violência de género ainda é um "flagelo" naquele país.  

A presidente da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, Ana Sofia Fernandes, sublinhou que a violência contra as mulheres "ainda é um flagelo" e que há uma série de outras questões relacionadas com a participação política que precisam de ser trabalhadas. 

Em entrevista à ONU News, a representante destacou o papel da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, CSW, que a partir de segunda-feira reúne mais de 5 mil pessoas em Nova Iorque. Ana Sofia Fernandes vê o evento como "momento chave” que permite às organizações de mulheres feministas governos e com setor privado aferir o cumprimento dos compromissos dos Estados relativamente à Plataforma de Ação de Pequim."

A entrevistada destacou a realidade portuguesa, lembrando que ainda há muitas desigualdades como "a taxa de desemprego das mulheres ser superior à dos homens e a qualidade do trabalho ser inferior."

No que diz respeito à Europa, a também vice-presidente do Lobby Europeu das Mulheres, a maior plataforma de organizações feministas da União Europeia, considera que o espaço das associações de mulheres tem sido restringido em muitos países do continente.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Portugal aposta nas políticas de igualdade e combate à violência de género

Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade de Portugal explica prioridades; educação para a cidadania vai combater estigmas e preconceitos; autoridades do país reforçam apoio a ONGs Lgbti.

Portugal é o 12º país com sistema de educação mais igualitário entre países ricos

Unicef estudou desigualdades de aprendizagem nos países da Ocde; relatório diz que riqueza do país não garante educação de qualidade; contexto familiar entre os fatores que mais influenciam desempenho escolar.