Embaixadora do Unfpa, atriz Catarina Furtado luta pelo fim da mortalidade materna

Catarina Furtado é embaixadora da Boa Vontade do Unfpa há já 18 anos.

Aprendi que as mortes maternas que ainda acontecem são preveníveis e, portanto, enquanto a mortalidade materna existir, eu não me vou calar

Catarina Furtado , embaixadora da Boa Vontade

Tiago Lopes Fernandez
Catarina Furtado é embaixadora da Boa Vontade do Unfpa há já 18 anos.

Embaixadora do Unfpa, atriz Catarina Furtado luta pelo fim da mortalidade materna

Direitos humanos

Apresentadora de televisão portuguesa falou à ONU News sobre o Dia Internacional pelo Fim da Fístula Obstétrica, marcado em 23 de maio.

Catarina Furtado foi convidada para embaixadora da Boa Vontade do Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, no ano 2000, por Kofi Annan. Continuou nessa posição durante os dois mandatos de Ban Ki-moon e acompanha agora o primeiro secretário-geral de língua portuguesa, António Guterres.

A ONU News falou com a apresentadora sobre o Dia Internacional pelo Fim da Fístula Obstétrica, que é marcado a 23 de maio, e sobre o trabalho que faz com a agência da ONU há já 18 anos.

Catarina diz que o objetivo continua a ser o mesmo de sempre, “tentar que aconteçam zero práticas nefastas contra as mulheres.”

Em quase duas décadas, a embaixadora da Boa Vontade já visitou Cabo Verde, Timor-Leste, Guiné-Bissau, Haiti, Índia, Indonésia, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Sudão do Sul.

Ela diz que a grande lição de todas estas viagens é “que, de facto, as meninas e mulheres são mesmo a população que é mais violentada sobre todas as formas.”

Nesta conversa, Catarina explica porque é que este trabalho continua a ser importante, o que é que aprendeu com as mulheres no terreno, e como é que todos podem ajudar.

Acompanhe a conversa com Alexandre Soares, da ONU News.