ONU quer ampliar participação feminina em missões de paz já em 2018
BR

8 dezembro 2017

Subsecretário-geral do Departamento de Manutenção das Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix, disse à ONU News, que o objetivo de sua equipe é trabalhar no próximo ano para aumentar o número de mulheres, que segundo ele “tornam as missões mais efetivas”.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

A participação feminina em operações de paz não é apenas uma questão de equilíbrio de gênero, mas também de qualidade e eficiência das missões.

A afirmação é do subsecretário-geral do Departamento de Manutenção das Operações de Paz da ONU, Jean-Pierre Lacroix.

Policiais

Em entrevista à ONU News, em Nova Iorque, ele afirmou que as mulheres fazem a diferença como boinas-azuis. E comentou a promessa dos países que contribuem com tropas de aumentar a presença no terreno, feita numa reunião realizada no mês passado, no Canadá.

“O assunto do aumento da participação das mulheres nas nossas missões foi também discutido. Acho que agora, a comunidade internacional, os países entendem que mais mulheres nas nossas missões, significa ter missões mais efetivas. Não é apenas uma questão de equilíbrio entre homens e mulheres. É uma questão de ser mais efetivo.”

Em sua página na internet, o Departamento de Operações de Paz afirma que tem como objetivo dobrar o número de mulheres boinas-azuis até 2020 tanto em cargos militares como policiais.

Mulheres

Ao ser perguntado se as ações para chegar lá começariam já no próximo ano com grandes oportunidades para as mulheres, Jean-Pierre Lacroix respondeu:

“Certamente vai ser o nosso objetivo de trabalhar neste sentido.”

De acordo com as Nações Unidas, cerca de 4% das forças militares são mulheres.

No total, existem 110 mil boinas-azuis em 15 operações de paz ao redor do mundo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud