ONU realiza primeira conferência mundial sobre oceanos
BR

5 junho 2017

Encontro começa nesta segunda-feira na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque; objetivos é promover parcerias para a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14 que tem metas sobre conservação de mares e oceanos e gerenciamento de recursos marinhos.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque. 

Autoridades de todo o mundo reúnem-se na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, a partir desta segunda-feira para promover ações contra a degradação marinha.  A abertura coincide com o Dia Mundial do Meio Ambiente.

A primeira Conferência sobre os Oceanos busca parcerias para a implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14, que trata da conservação de mares e oceanos e do gerenciamento de recursos marinhos.

Portugal

Portugal participou na preparação do encontro. Em entrevista à ONU News, o embaixador português junto às Nações Unidas, Álvaro Mendonça e Moura, destacou a importância do encontro e disse esperar que a conferência seja a primeira de várias sobre o tema.

“E esse conferência, o que pretende é impulsionar os vários Estados para que se cumpram os Objetivos da agenda de desenvolvimento no que diz respeito aos oceanos. Esse é o grande objetivo da conferência. E a conferência vai se dividir em três aspectos. Uma declaração política, um documento que se chama Call for Action. É um apelo da comunidade internacional para que efetivamente se passe da teoria para a prática.”

Compromissos voluntários

Além do chamado global à ação, o encontro também vai gerar centenas de novos comprometimentos. Até o momento, 290 compromissos voluntários já foram feitos e mais são esperados. São iniciativas de países, empresas ou pessoas, individualmente ou em parceria, incluindo governos, o sistema das Nações Unidas, a sociedade civil e o setor privado.

Também é esperado um relatório final, que incluirá, entre outros temas, o resumo de diálogos sobre poluição marinha, conservação dos oceanos, ecossistemas marinhos e pesca sustentável.

Álvaro Mendonça e Moura ressaltou que os oceanos são “fundamentais para a sobrevivência da humanidade” e chamou atenção para “uma grande falta de conhecimento"  sobre a questão.

O embaixador ressaltou que “há hoje maior conhecimento sobre a lua do que sobre os oceanos”, o que para ele “é uma coisa extraordinária”, já que os oceanos “representam três quartos do planeta e fornecem 50% do oxigênio” respirado pelos seres humanos.

Alterações climáticas

Ele defendeu ainda que não será possível atuar sobre as alterações climáticas se os oceanos forem deixados “completamente de lado”.

A Conferência sobre os Oceanos acontece até sexta-feira, 9 de junho, coincidindo com a Semana do Meio Ambiente.

Acompanhe o encontro nas redes sociais com a hashtag #SaveTheOcean”. Alguns eventos serão transmitidos ao vivo.

Notícias Relacionadas:

Países assinam acordo histórico para acabar com a pesca ilegal

Leonardo DiCaprio defende Acordo de Paris como solução para os oceanos

Em 2050, oceanos podem ter mesma quantidade de peixes e plástico 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud