Nigéria: mais de 70 mil civis fora do alcance de ajuda humanitária

31 maio 2017

Habitantes do nordeste do país estão em áreas isoladas devido à violência das milícias terroristas Boko Haram; ações envolvendo grupo provocaram pelo menos 20 mil mortos.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Mais de 70 mil pessoas no nordeste da Nigéria continuam longe do alcance dos trabalhadores humanitários e vivem em condições de desespero.

A informação é do Escritório de Assuntos Humanitários das Nações Unidas, Ocha, que destaca haver grandes necessidades básicas dos refugiados retornados nas últimas semanas dos Camarões e de países vizinhos.

Milícias

O coordenador humanitário da ONU na Nigéria, Edward Kallon, disse haver cerca de 6,9 milhões de pessoas que precisam urgentemente de ajuda essencial na área afetada pelas milícias terroristas Boko Haram.

Para o representante, o acesso a essas áreas é impossível por falta de clareza sobre a situação de vulnerabilidade da população.

Kallon citou pessoas que saíram das áreas libertadas, especialmente mulheres e crianças com sinais de fome.

Inundações

A agência da ONU também advertiu que 450 mil crianças correm o risco de morrer de doenças relacionadas à desnutrição aguda grave, caso as outras áreas se tornem inacessíveis com inundações nos próximos meses.

O responsável advertiu para uma ameaça iminente de fome com os problemas de acesso por causa da insegurança, num momento em que forças do governo continuam a combater os insurgentes Boko Haram.

O combate às milícias entra no oitavo ano, com mais de 20 mil mortos e 1,8 milhão de pessoas que abandonaram as suas casas. Mais de 7,5 mil homens, mulheres e crianças relataram abusos e violência sexual.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud