Banco Mundial quer infraestrutura mais resiliente em Fortaleza
BR

1 maio 2017

Projeto terá duração de seis anos e focará na recuperação de um grande parque urbano e na balneabilidade da orla oeste da cidade, além de buscar a melhoria da gestão pública

Mariana Ceratti, de Brasília, para a ONU News.*

O Banco Mundial aprovou nesta sexta-feira um projeto para melhorar espaços públicos de Fortaleza, no Ceará, e tornar a infraestrutura mais resistente às mudanças climáticas. O empréstimo, de US$ 73,3 milhões, beneficiará mais de 300 mil moradores em algumas das áreas mais vulneráveis da cidade.

Segundo a gerente do projeto no Banco Mundial, Emanuela Monteiro, a revitalização do Parque Rachel de Queiroz é um dos focos do trabalho. O parque é a segunda maior área de conservação da capital cearense e cruza 14 bairros.

Recuperação

“Na parte de infraestrutura, a gente está trabalhando com dois subcomponentes. Um é de recuperação de um parque urbano, que tem 10 quilômetros de extensão, e a gente está trabalhando neste projeto como uma grande âncora, para em torno dele viabilizar uma série de transformações urbanas.”

O projeto visa construir novas vias de acesso, pistas de caminhada e ciclovias, além de melhorar a iluminação e a sinalização do Parque Rachel de Queiroz.

Já na Vertente Marítima, outra área atendida pela iniciativa, o objetivo é dar mais eficiência à rede de esgoto e reduzir a poluição das águas. Com isso, a taxa de balneabilidade das praias da região oeste da cidade vai aumentar dos atuais 20% para 80% no período de estiagem.

Gestão pública

Segundo a secretária municipal de urbanismo e meio ambiente, Águeda Muniz, o projeto busca melhorar não só a infraestrutura, mas também a gestão pública.

“O Banco está fortalecendo a capacidade do município para que o município possa alavancar mais investimentos e alavancar de forma própria; ele mesmo investindo, ele mesmo arrecadando mais e investindo em outros serviços.”

O projeto, que tem duração de seis anos, ganhou em janeiro um prêmio do ONU-HABITAT por promover o cumprimento da Nova Agenda Urbana das Nações Unidas. A instituição destacou iniciativas capazes de valorizar a convivência urbana e o equilíbrio entre cidade e natureza.

*Reportagem do Banco Mundial Brasil.

Notícias relacionadas:

ONU e Banco Mundial assinam parceria para favorecer os mais vulneráveis

Banco Mundial defende eficiência nos gastos da AL e Caribe com infraestrutura

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud