Aumenta o total de crianças usadas em ataques suicidas no Lago Chade
BR

12 abril 2017

Levantamento do Unicef mostra que só este ano, grupo terrorista Boko Haram utilizou 27 menores em atentados; ações vem ocorrendo desde 2014 na Nigéria, no Chade, no Níger e nos Camarões.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.*

Entre janeiro e março deste ano, 27 crianças foram utilizadas em ataques suicidas no conflito do Lago Chade, na África. O levantamento é do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, destacando que no mesmo período do ano passado, nove menores foram vítimas.

Essas crianças são obrigadas pelos terroristas do Boko Haram a participar de atentados a bomba. A tendência vem ocorrendo desde 2014, sendo que 117 menores foram usados em ataques em locais públicos no seguintes países: Nigéria, Chade, Níger e Camarões. As meninas são as principais vítimas.

Explosivos

Como consequência, meninos e meninas são observados com receio em mercados e outros locais públicos, com medo de que estejam carregando explosivos.

O Unicef lembra que essas crianças também são vítimas e não autoras dos ataques, já que são obrigadas a cometer atos terríveis, o que é condenado pela agência da ONU.

Estigma

O relatório é lançado três anos depois do sequestro de mais de 200 estudantes em Chibok, na Nigéria. O Unicef ouviu vítimas do Boko Haram, que tentam manter sua condição em segredo, com medo do estigma e de represálias violentas por parte de suas comunidades.

O Unicef destaca que as autoridades locais também enfentam desafios, especialmente em relação à custódia de crianças. No ano passado, cerca de 1,5 mil menores estavam sob custódia administrativa nos quatro países.

Ações

A agência pede aos lados em conflito para proteger as crianças da região por meio de ações como acabar com as graves violações contra menores cometidas pelo Boko Haram, incluindo o uso de crianças nos combates.

Os menores também devem sair do ambiente militar e serem transferidos para o ambiente civil assim que possível, para que sejam reintegradas à sociedade. Essas crianças precisam receber proteção e cuidados psicossociais.

Em 2016, o Unicef ajudou 312 mil crianças na Nigéria, Chade, Camarões e Níger e mais de 800 foram reunidas com suas famílias. A crise na Bacia do Lago Chade já fez com que 1,3 milhões de menores virassem deslocados internos.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud