Moçambique: Todos com papel importante para o sucesso da Agenda 2030

18 novembro 2016

Parceiros, as comunidades e os governos são alguns dos intervenientes que podem contribuir para o sucesso dos objetivos de desenvolvimento sustentável, ODS, afirma Márcia de Castro, coordenadora residente da Nações Unidas em Moçambique.

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo.

Representantes das Fundações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, reunidos em Maputo, mostraram sua preocupação face à necessidade de sucesso da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Numa conferência que reuniu membros da sociedade civil, nomeadamente, Leonardo Simão, diretor executivo da Fundação Joaquim Chissano, Graça Machel, presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade (FDC), a coordenadora residente das Nações Unidas em Moçambique, Márcia de Castro defendeu o envolvimento de todos para o alcance dos ODS.

Investimentos

“A estimativa de custo de uma implementação de uma agenda deste alcance é muito alto. Então, realmente, é necessário definir prioridades e investir nelas. Todos temos um papel a jogar, se há áreas que ainda não puderam usufruir por exemplo de investimentos, não dependerá, só do Estado preencher estas lacunas, também os parceiros, as comunidades, os governos locais têm um papel importante aí para jogar.”

Para Graça Machel, presidente da FDC, neste envolvimento conjunto, não se deve esquecer as camadas vulneráveis.

“É preciso investir na produção de dados estatísticos fiáveis, e saber quem são estas mulheres, crianças, os marginalizados, os nómadas, quem são e onde estão, em cada país, nós vamos saber onde estão estas bolsas, de pessoas que nós queremos transformar as suas vidas.”

Desafios

Para além da participação conjunta, Márcia de Castro citou o principal desafio.

“O passo mais importante nesta fase é socializar o que significa esta agenda para entidade do Estado, sociedade civil, governos locais, meios de comunicação, usar campanhas de disseminação de conteúdo massivas que permitam levar a informação para um público mais amplo.”

A conferência organizada pelo Centro Português de Fundações em parceria com a Fundação para o Desenvolvimento da Comunidade, FDC, teve como tema “As Fundações e agenda 2030”, inserida no décimo primeiro encontro de fundações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud