Passar para o conteúdo principal

ONU quer aprovação imediata de plano de ajuda para Alepo, Síria

ONU quer aprovação imediata de plano de ajuda para Alepo, Síria

Baixar

Pedido foi feito esta quinta-feira pelo coordenador da Força Tarefa Humanitária das Nações Unidas para o país: Jan Egeland afirmou que medida deve ser tomada para evitar uma “catástrofe”.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A ONU alertou que o plano de ajuda da organização para o leste de Alepo deve ser aprovado rapidamente pelos lados em conflito na Síria para evitar uma “catástrofe”.

Falando esta quinta-feira em Genebra, o coordenador da Força Tarefa Humanitária da ONU da Síria, Jan Egeland, afirmou que “os últimos estoques de alimentos” estão sendo distribuídos nas áreas sitiadas da cidade.

Inverno

Segundo ele, as tentativas anteriores de enviar assistência a Alepo fracassaram porque as Nações Unidas não tinham fechado acordo de acesso seguro com todos os envolvidos no conflito.

O coordenador da Força Tarefa disse que 250 mil pessoas continuam presas no leste de Alepo e que famílias estão desesperadas com a chegada do inverno no hemisfério norte.

Egeland declarou que as agências da ONU não têm mais nenhuma comida para distribuir a partir da semana que vem.

Plano

Ele explicou que a organização enviou um plano a todos os envolvidos na guerra para levar ajuda à população e retirar os doentes e feridos da região.

O representante da ONU disse que estava convencido de que a proposta iria ser aprovada pelo governo sírio, pela Rússia e pelas forças de oposição.

Segundo Egeland, aproximadamente 300 pessoas e suas famílias precisam ser resgatadas do leste de Alepo.

Ele afirmou que a situação também é ruim no lado oeste da cidade, de onde representantes da ONU tiveram de sair depois que o hotel que usavam como sede foi atacado.

Leia Mais:

Nações Unidas dizem que vão insistir na retirada de civis de Alepo

ONU não consegue entregar ajuda em áreas sitiadas na Síria

Genebra abriga nova reunião nesta sexta-feira sobre situação da Síria

Photo Credit
Jan Egeland em coletiva de imprensa em Genebra. Foto: ONU/Luca Solari