Acnur quer dobrar fundos para assistência financeira a refugiados
BR

31 outubro 2016

Agência da ONU espera atingir objetivo até 2020; 60 países participam do programa que deve ser expandido para 75 nações no ano que vem.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A agência da ONU para Refugiados, Acnur, anunciou que pretende dobrar os fundos de assistência financeira para os refugiados em todo o mundo até 2020.

O alto comissário da ONU, Filippo Grandi, afirmou que “o uso da ajuda em dinheiro tem sido um fator crucial na forma como o Acnur presta assistência aos refugiados”.

Jordânia e Líbano

Segundo Grandi, a agência da ONU fornece atualmente ajuda financeira em 60 países, incluindo Jordânia e Líbano e a meta é expandir esse número para 75 já no ano que vem.

O alto comissário explicou que o Acnur foi uma das primeiras agências da ONU a utilizar a ajuda em dinheiro para os refugiados em meados dos anos 80.

Grandi disse que “com o passar dos anos foi possível ver os efeitos positivos dessa ajuda sobre os refugiados e as pessoas deslocadas à força”.

O representante das Nações Unidas declarou que os refugiados e deslocados sabem muito bem o que precisam e o dinheiro dá a oportunidade para que decidam da melhor forma como gastar.

Conflitos

Para o alto comissário, o programa é uma forma eficaz de ajudar a todos os que estão fugindo de conflitos e perseguições. Ao mesmo tempo, o dinheiro beneficia comerciantes locais, a economia da região e é um fator importante para impulsionar a relação entre o país e as comunidades de refugiados.

Segundo o Acnur, o programa de ajuda em dinheiro tem sido um sucesso na Jordânia e no Líbano, onde a agência recebeu autorização para dar assistência aos refugiados sírios.

Os próximos países a fazerem parte do sistema são: Níger, Congo e República Democrática do Congo, Quênia, Ruanda, Somália, Sudão, Etiópia, Uganda, Afeganistão e Irã.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud