Para relator, Israel nega a palestinos o direito ao desenvolvimento
BR

28 outubro 2016

Michael Lynk apresenta seu relatório à Assembleia Geral e afirma que ambiente nos territórios palestinos é marcado pela pobreza, desemprego “épico” e estagnação econômica.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Na opinião do relator especial da ONU para os direitos humanos nos territórios palestinos, “Israel está negando à Palestina o direito ao desenvolvimento”.

Michael Lynk apresentou seu relatório à Assembleia Geral esta sexta-feira. Ele pede ao governo israelense para acabar com quase 50 anos de ocupação e descreve uma atmosfera de “desespero e falta de esperança” entre os cidadãos palestinos.

Estagnação

O relator avalia que o ambiente nos territórios ocupados é marcado pela pobreza, desemprego “épico”, estagnação econômica e insegurança alimentar.

Para Lynk, a economia palestina não tem paralelo no mundo moderno, porque “Israel nega aos palestinos o direito ao desenvolvimento”, dificultando que a região cumpra as metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Gaza

Segundo o relator da ONU, Gaza tem uma das taxas mais altas de desemprego no mundo, 42%, sendo que entre os jovens o índice chega a 58%.

Nos territórios palestinos, o desemprego chegou a 27% este ano. Michael Lynk avalia que a ocupação, em vigor desde 1967, não respeita os “princípios e obrigações do direito ao desenvolvimento”.

Ele pediu ao governo de Israel para visitar os territórios ocupados, mas disse que não obteve resposta.

Leia e Ouça:

Falta de "liderança visionária" impede acordo entre israelenses e palestinos

Ban reafirma importância de Jerusalém para as três religiões monoteístas

Shimon Peres manteve-se otimista a respeito da paz, diz Ban Ki-moon

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud