Estados Unidos vão reassentar 110 mil refugiados a partir de outubro
BR

20 setembro 2016

Anúncio foi feito pelo presidente Barack Obama em reunião na sede da ONU em Nova York; secretário-geral afirmou que 1,2 milhão precisam de reassentamento durante o próximo ano fiscal que começa em outubro e termina em setembro de 2017.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi o anfitrião de uma reunião sobre a crise global de refugiados nesta terça-feira na sede da ONU em Nova York.

No encontro, o líder americano afirmou estar “orgulhoso em anunciar” que os Estados Unidos continuariam o que chamou de “papel de liderança” e que “no próximo ano fiscal, que começa em 1º de outubro, o país vai reassentar 110 mil refugiados de todo o mundo, um aumento de cerca de 60% em relação a 2015”.

Teste

Para Obama, a crise global de refugiados é um dos “principais testes” sobre a capacidade mundial de “ação coletiva”. Uma prova, segundo ele, antes de tudo, sobre a “habilidade de acabar com conflitos”.

O presidente norte-americano afirmou que, se o mundo quer mesmo abordar a crise é preciso acabar com  “guerras como a selvageria na Síria” através de “diplomacia” e não “simplesmente” com bombardeios.

Humanidade

Ele também ressaltou a importância de combater violência sexual e dar autonomia a meninas e mulheres.

Para Obama, esta crise também é um teste sobre “humanidade comum”. Ele lembrou que os Estados Unidos foram “construídos por migrantes e refugiados”.

Mancha na Consciência

Obama afirmou que grande parte dos refugiados vem de três países afetados por guerra: Síria, Afeganistão e Somália. 

Falando a líderes mundiais, ele afirmou acreditar que  “assim como a falta de ação no passado, por exemplo mandar embora judeus fugindo da Alemanha nazista é uma mancha na consciência coletiva, a história irá julgar severamente” se o desafio não for enfrentado.

Reassentamento

No encontro, o secretário-geral da ONU , Ban Ki-moon, afirmou que “reassentamento e outras formas de admissão” de refugiados são ferramentas fundamentais de proteção.

Segundo Ban, cerca de 1,2 milhão dos refugiados mais vulneráveis precisam de reassentamento.

Líderes Mundiais

Vários líderes internacionais participaram da reunião entre eles, o rei da Jordânia Abdullah II, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e os primeiro-ministros do Canadá, Justin Trudeau, e do Reino Unido, Theresa May.

A nadadora Yusra Mardini, que participou dos Jogos Olímpicos Rio 2016 junto com a primeira equipe olímpica de atletas refugiados também participou do encontro.

Acompanhe na Rádio ONU a cobertura da reunião de alto nível sobre refugiados e migrantes e da 71ª sessão da Assembleia Geral da ONU.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud