Fundo Global de Combate à Aids, Tuberculose e Malária salvou 20 milhões
BR

17 setembro 2016

Declaração foi feita pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em evento realizado este sábado, em Montreal, no Canadá; ele afirmou que o mundo tem "o conhecimento e as ferramentas" para acabar com essas doenças até 2030.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que desde sua criação, o Fundo Global  de Combate à Aids, Tuberculose e Malária ajudou a salvar a vida de 20 milhões de pessoas em todo o mundo.

Ban fez a declaração, este sábado, durante a 5ª Conferência de Reposição do Fundo Global realizada em Montreal, no Canadá.

Princípios

O chefe da ONU disse que o exemplo de trabalho do Fundo Global para países, comunidades e grupos que necessitam de ajuda fornece a base para uma nova era de oportunidades que começou este ano.

Ele declarou que o trabalho para pôr um fim ao HIV, à tuberculose e à malária está intrinsicamente ligado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Segundo Ban, todos os objetivos da Agenda 2030 estão baseados em assegurar vidas saudáveis e promover o bem-estar para todos. A iniciativa foi criada tendo como base os princípios de parceira e o objetivo é não deixar ninguém de fora, seja qual for a origem, etnia ou crença da pessoa.

O secretário-geral afirmou que a comunidade internacional tem o conhecimento e as ferramentas para acabar com essas doenças até 2030. Ele disse que essa é a meta e a ambição da organização e, também, a visão de transformar o mundo em um lugar melhor e de alcançar um planeta saudável e ambientalmente sustentável.

Educação

Ban citou o trabalho do Fundo Global pela educação como forma de prevenir o HIV.

Além disso, mencionou a necessidade de melhora das condições de vida em favelas de grandes centros urbanos para combater a tuberculose e de aprimorar a gestão dos serviços de abastecimento de água e saneamento para eliminar a malária.

Para Ban, o Fundo serve como um modelo de parceria que une pessoas e parceiros de desenvolvimento, governos, sociedade civil, setor privado e os que são afetados pelas doenças.

O chefe da ONU alertou que um dos principais desafios agora é a resistência antimicrobiana. Ban disse que o problema ameaça a resposta de saúde à Aids, à tuberculose e à malária.

Ele disse que a ameaça à saúde global é tão grande que os líderes mundiais vão se reunir no dia 21 para discutir a questão durante a Assembleia Geral da ONU.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud