Ban elogia acordo de paz final na Colômbia e promete apoio ao país
BR

25 agosto 2016

Declaração foi feita pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, após o Governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Farc, anunciarem assinatura do documento durante cerimônia em Havana.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, prometeu apoio contínuo do sistema das Nações Unidas ao governo colombiano e às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Farc, na implementação do acordo de paz entre os dois lados.

A declaração de Ban marcou a assinatura final do acordo, ocorrida em Havana, na quarta-feira. O tratado sela o fim do conflito civil mais longo do Hemisfério Ocidental, que começou em 1964. Ele afirmou que “as Nações Unidas vão apoiar a Colômbia na construção de um futuro de paz”.

Diálogo

O chefe da ONU lembrou que há quatro anos, representantes do governo colombiano e das Farc utilizaram a forma diplomática, do diálogo, para acabar com os combates.

Ban explicou que agora as negociações terminaram e que os dois lados vão implementar os resultados das discussões.

Desde 2012, as Farc e o Governo vinham mantendo conversações em Havana, organizadas por Cuba. Eles chegaram a um consenso em várias questões como participação política, direito à terra, drogas ilícitas, direitos das vítimas e justiça.

Em maio, governo e Farc anunciaram acordo para liberar e reintegrar na sociedade as crianças-soldado das forças de oposição. Eles também anunciaram a criação de uma subcomissão sobre gênero para aumentar a participação das mulheres no processo de paz.

Cessar-Fogo

Em junho, Ban foi a Havana, onde participou da cerimônia de assinatura bilateral do acordo de cessar-fogo e deposição das armas.

O chefe da ONU disse, na época, que o “processo de paz validou a perseverança de todos os que trabalharam para o fim do conflito não através da destruição do adversário, mas sim pela paciente busca pelo compromisso”.

O secretário-geral elogiou o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o líder das Farc-EP, Timoleón Jimenez, além das equipes de negociadores em Havana.

Cuba e Noruega

Ele citou também o trabalho dos países “avalizadores” do processo, Cuba e Noruega, e ainda países como Chile e Venezuela, pelo apoio às negociações.

Ban disse que agora que as negociações estão concluídas, um esforço igual será exigido para a implementação do acordo.

A Missão da ONU na Colômbia irá verificar o processo de cessar-fogo e a deposição das armas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud