Número de migrantes presos no Egito a buscar apoio cresce em 2016

15 julho 2016

Segundo OIM, número subiu em mais de 59%; agência pede a doadores e parceiros mais apoio para atender as necessidades atuais.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O número de migrantes vulneráveis presos no Egito subiu em mais de 59% em 2016.

As necessidades financeiras, de proteção e saúde ajuda imediata são oferecidas pela  Organização Internacional para Migrações, OIM, no país. O apoio inclui o retorno voluntário assistido a seus países de origem.

Deslocamento Forçado

Segundo a agência, parceira da ONU, entre janeiro e junho de 2015, 412 migrantes pediram assistência direta à instituição no Egito. Este número subiu para 1.015 pessoas no mesmo período deste ano.

A OIM pede a doadores e parceiros mais apoio a seus programas, para atender as necessidades atuais.

Segundo a agência, os índices migratórios chegaram a nova alta na região do Mediterrâneo em 2015 e 2016.

O deslocamento forçado, instabilidade política no Oriente Médio e norte de África, e pressões económicas e ambientais causaram o movimento em massa de pessoas. Muitas vidas foram perdidas como resultado de viagens perigosas.

Egito

De acordo com a OIM, o Egito é país de origem, trânsito e destino de uma migração mista. Desde 2011, a agência tem trabalhado em parceria com o governo para responder a estes complexos fluxos migratórios.

A OIM no país também lançou programas de assistência direta, que ajudaram com as necessidades financeiras, de proteção e saúde imediata das de mais de 4,5 mil migrantes vulneráveis no país desde 2013.

Desde 2011, a agência também ajudou o retorno voluntário de mais de 2 mil migrantes a seus países de origem.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud